A solução é automatizar o processo de unitarização de medicamentos!

Existem países onde a maioria dos hospitais não unitarizam os medicamentos, inclusive na Alemanha. Que apenas enviam os medicamentos para as enfermarias e farmácias satélites as caixinhas, para colocar em um armário com chave e posteriormente um profissional os dispensa.

E como seria detalhadamente esse processo?

O profissional abre o dispensário/armário, procura a caixa correta do medicamento entre as outro as 200 variedades, retira da caixa o blister, com uma tesoura corta o blister, depois coloca o blister cortado em um recipiente, retorna com o restante do blister e a bula para a caixa original e guarda novamente no dispensário/armário de onde havia removido.

Quanto tempo levou esse processo? Muito provavelmente entre 1 e 2 minutos, perde-se 1 minuto a mais para cada administração em comparação quando utiliza-se uma máquina unitarizadora automática Opuspac. Com a OPUS 30X é possível reduzir o tempo de trabalho para 1,39 segundos por unidade.

Máquina unitarizadora automática 30X

Então, em um hospital com 200 leitos é realizado por mês aproximadamente 70.000 unitarizações de medicamentos, ou seja, 70.000 minutos a mais e 1.166 horas a mais. Mencionando profissionais, equivalente a mais de 07 profissionais de enfermagem com formação superior, seriam 7 salários de nível superior em contra partida com 1 salário de um operador de máquina unitarizadora.

Além do impacto econômico, existe o problema que o farmacêutico responsável deve controlar todas essas doses espalhadas por todo o hospital e com controle mínimo. Como seria esse controle de onde está casa dose? Provavelmente, o medicamento que falta num armário e que solicita sua reposição para a farmácia, estará no armário de outro andar. Então, qual é o controle? Quanto tempo é gasto para fazer um inventário de rotina em cada armário?

Temos mais um motivo importante para a unitarização dos medicamentos, pois é de responsabilidade do farmacêutico responsável pela farmácia do hospital, diferenciar os medicamentos para evitar erros de similaridade.  É notório que existem muitos medicamentos de aparência similar, são chamados de LASA (Look Alike anda Sound Alike). Diferenciar é uma tarefa importante, sendo realizada através da reembalagem.

Embalagens Sistema Opuspac de Unitarização

O trabalho manual de unitarização de medicamentos já é um grande avanço em relação ao procedimento de envio das embalagens em caixas para cada andar no hospital. Porém, esse processo manual é mais lento de 5 a 7 vezes em comparação com o realizado através da automação desse processo.

É muito conveniente a unitarização de medicamentos com máquinas automáticas.

Sabia que é possível reduzir os custos no hospital através da unitarização dos medicamentos e identificação dos mats e meds?

Sabia que é possível reduzir os custos no hospital através da unitarização dos medicamentos e identificação dos mats e meds?

Existem materiais que são necessários converter em unidades e identificá-los, como por exemplo, os bisturis e outros que já estão unitarizados, sendo apenas necessário acrescentar um código de identificação apropriado.

Caso esse material tenha um código de barras, talvez não seja necessário colocar outro código. Em alguns casos, é necessário incluir um código mais completo, com número de lote, data de vencimento e até um número serial para melhor rastreabilidade.

Por que necessitamos de um código? Porque é conveniente usar este código para carregamento das informações diretamente na conta de cada paciente. Assim, identificar o produto entregue, tem melhor justificativa com a seguradora de saúde.

Enviar o custo destes produtos para “Despesas Gerais” não é a melhor gestão. Uma boa gestão está em identificar o destino de cada produto e acrescentar na conta do paciente, assim os custos terão maior precisão e o faturamento será correto.

Alguns produtos podem ser acondicionados em sacos plásticos e etiquetados com nome e código. Não é a solução mais barata para produtos volumosos, e outra solução seria colar etiquetas nos produtos. Mas, além do custo das etiquetas, deve ser considerado o custo do processo de identificação.

A Opuspac tem uma solução que faz até 4.000 itens por hora, com pouco esforço e sem etiqueta. A Opus Ink imprime diretamente no material médico, o custo da tinta é depreciável, pois a duração do tinteiro é de vários meses, a tinta é a base de álcool o que dispensa certos cuidados especiais com toxicidade e mal cheiro no ambiente. A mudança de ajuste da máquina (tempo de set-up) de um produto para outro é de apenas 2 a 5 segundos.

Opus Ink

As seguradoras de saúde continuam pressionando com questionamentos (glosas) para evitar o pagamento de custos que não estejam devidamente justificados pelos hospitais.

Então, manter os materiais com código serial permite um controle confiável para incluir as despesas na conta de cada paciente e assim justificar adequadamente cada gasto e assim, o hospital poderá recuperar os valores correspondentes às respectivas despesas.

Sistema Opuspac

Um medicamento unitarizado é um medicamento fracionado?

Um medicamento unitarizado é um medicamento fracionado?

Sim!

Unitarizar (unit dose re-packaging en inglês) é o processo de preparar os medicamentos na forma pronta como os blisteres e ampolas, assim serão administrados aos pacientes. Este processo é normalmente realizado na Farmácia do Hospital, no Setor de Armazenagem de Medicamentos ou no Centro de Unitarização. Em vários hospitais esse processo é de responsabilidade e controle da farmácia do hospital.

A unitarização envolve dois processos principais: embalagem, impressão da etiqueta ou embalagem unitária. E pode ser efetuada manualmente ou com máquinas unitarizadoras.

Outras tarefas do processo de unitarização são:

1) Retirar os medicamentos do estoque;

2) Montar uma Ordem de Produção de Unitarização com a informação correspondente: autorização, código de barras, quantidade de medicamentos, validade etc.;

3) Conseguir os materiais para unitarizar;

4)  Cortar os blisteres;

5) Separar os medicamentos de suas embalagens secundarias ou caixas;

6) Imprimir as etiquetas no caso de unitarização manual;

7)  Embalar e etiquetar (unitarizar);

8)  Formar grupos adequados para o manuseio posterior dentro estoque e colocar etiqueta.

9)  Guardar em local correto o local de armazenagem.

Este processo é normalmente realizado imediatamente ao receber os medicamentos no hospital e antes de entrar no Estoque Fechado (estoque 1). Em processos de unitarização com máquinas automáticas, este é o procedimento padrão.

Em casos de unitarização manual nem sempre é possível fazer assim e algumas vezes, os medicamentos são armazenados no  estoque e posteriormente enviados unitarização.

Hoje, existem máquinas que cortam os blisteres automaticamente, que são utilizadas por hospitais de mais de 150 leitos. E também máquinas semiautomáticas de unitarização e dispositivos para realizar todo o processo em forma automatizada, sem a presença constante do operador em todos os cliclos.

Então, por que Unitarizar?  

Principalmente para centralizar o controle dos medicamentos na Farmácia Hospitalar, para diferenciar as embalagens, acrescentar os códigos de barras e manter a segurança do paciente. Essa centralização do controle permite redução de até 57% de Eventos Adversos, segundo dois estudos realizados na Alemanha e EUA.

Assim como a diminuição do tempo ocupado pelas enfermeiras para unitarizar nos diversos andares e a redução do desperdício.

Mas, a unitarização ainda não está generalizada em todos os países, como na Europa que ainda em vários países se despacham os medicamentos para as enfermarias em caixas que são unitarizadas no momento de uso. Já nos EUA unitarizam ou embalam, muitos medicamentos sem blister, recebidas em frascos grandes, para serem armazenadas em armários eletrônicos das enfermarias ou setores.

Unitarizar para diferenciar

As ampolas e os blisteres recebidos diretamente dos laboratórios não contam com a necessária diferenciação para ser utilizados dentro do hospital.

Cada hospital e cada profissional de farmácia tem suas próprias regras sobre como “customizar” a apresentação da embalagem. Em geral, incidentes do passado recente influenciam sobre os critérios para evitar novos incidentes. Isto cria uma grande variedade de critérios de diferenciação em cada hospital que a indústria farmacêutica não pode resolver.

A colocação dos códigos de barras com as identificações do hospital são importantes, e  alguns casos se adiciona um código serial, onde cada embalagem tem um código ou identificação diferente e pode ser rastreado individualmente, desde o início até o final do uso e associado a um determinado paciente, garantindo um maior controle em todo o processo de unitarização.

Medicamentos unitarizados através do Sistema Opuspac


Atualmente o fracionamento de medicamentos ou unitarização, pode ser efetuado através de máquinas unitarizadoras e essa automação hospitalar contribui para a transformação no hospital.

A unitarização favorece a agilidade, rapidez e maior confiabilidade nos processos internos da farmácia hospitalar, prezando pela segurança do paciente.

Sistema Integrado Opus 30i + BC 100% automático ( para cortar blister e unitarizar blísteres, ampolas e frascos pequenos).

Quais os benefícios de unitarizar os medicamentos antes de armazenar no estoque do hospital?

Quais os benefícios de unitarizar os medicamentos antes de armazenar no estoque do hospital?

Assim que os medicamentos chegam em lotes ao setor de recepção, deveríamos levá-los para a sala de unitarização. Por quê?

Em primeiro lugar, separar os lotes parciais reduz a produtividade dos equipamentos na sala de unitarização.

Depois, separá-los em lotes maiores com 5.000 itens ou mais é possível e demorará apenas algumas horas e não mais algumas semanas.

Você não terá que programar seu trabalho para unitarizar, apenas trabalhará contra fila dos itens que chegaram hoje e no dia anterior. Assim, com todo seu estoque unitarizado, terá uma ampla proteção para qualquer aumento no pico de sua demanda.

Pelo contrário, caso trabalhe para atender as necessidades do seu balcão, transformará sua unitarização num processo apenas para suprir urgências.

A unitarização é um processo delicado que deve ser realizado de forma cuidadosa e com calma, para finalizar tudo corretamente, evitando os riscos de rotular medicamentos errados.

Também é muito importante para se reduzir os desvios do inventário do estoque de entrada, normalmente chamado de estoque 1, disponibilizar os medicamentos para unitarização de doses, assim que chegam no estoque, pois são identificados e suas caixas individuais são descartadas, perdendo seu valor comercial, não podem ser revendidos.

Consequentemente, reduzirão os desvios, revertendo e economizando esse valor importante dentro da cadeia de logística no hospital.

A solução é simples, com apenas um pouco mais de espaço no armazém, seu custo benefício é positivo e rapidamente obterá o retorno investido.

Acontece que esta metodologia é oposta à da cultura anterior. Antes da automatização da unitarização, era necessário fracionar os pedidos e os lotes, pois não havia a capacidade suficiente de produção para fazer um lote completo, pois dispendia o tempo de uma semana ou mais para finalização.

Agora com a tecnologia de automação, é possível criar estratégias com uma capacidade tranquila de suprimento de medicamentos, mesmo com alta na demanda.

Unitarizar antes de estocar é uma boa estratégia da cadeia de suprimentos.